terça-feira, 8 de junho de 2010

Alguma Surpresa A Vista?

No contexto do futebol atual, parece não haver muito espaço para surpresas, ainda mais em uma copa do mundo. Temos acesso a todos os campeonatos importantes, podemos ver os jogos preparatórios das principais seleções. Há espaço para surpresas?
Nesta copa, só há um lugar de onde me parece que pode haver alguma surpresa. Esse lugar é a Argentina. A razão não é boa. Maradona experimentou mais de 100 jogadores e vários sistemas diferentes nos últimos meses: 4-4-2, 3-5-2, 4-3-1-2, 3-4-3...
Agora parece que os argentinos tem seus onze titulares definidos. Romero no gol, Samuel, Demichelis e Heinze na zaga; Mascherano e Verón pelo meio, Gutierrez e Di Maria fechando a linha de quatro no meio de campo; Messi na ligação, Tevez e Higuain no ataque. Teoricamente um 3-4-3, mas a imprensa argentina indica que há uma variação para um 4-4-2 quando o time estiver sem a bola, com Gutierrez se deslocando para a defesa e Tevez se transformando em um meia pela direita.
O alto nível dos jogadores sugere que pode vir daí um grande time, super ofensivo marcando na pressao. No amistoso contra o Canadá, por exemplo, Gutierrez, Veron e Dimaria jogavam tão avançados que acabava se configurando um hiper ofensivo 3-1-3-3. Por outro lado, na melhor das hipoteses pode-se variar desse sistema ultra ofensivo para um outro mais cauteloso quando o time não tiver a bola, o citado 4-4-2, podendo este último ser predominante em jogos mais equilibrados.
Mas pode acontecer o contrário. O time pode unir uma ausencia de sequencia de esquema e time com um desacerto com tantas variações possíveis e naufragar. Por isso é esse o time que pode surpreender. Para o bem ou para o mal.

Memória da copa
Há 52 anos o Brasil estreava na copa de 1958, batendo a Áustria por 3 a 0, com dois gols de Mazzola e um de Nilton Santos. Naquele dia o Brasil jogou com Gilmar, De Sordi, Bellini, Orlando e Nilton Santos; Dino Sani e Didi; Joel, Mazzola, Dida e Zagallo. Cinco desses jogadores não alcançariam a final contra a Suécia. Era uma grande vitória, mas ainda faltavam muitos jogos e muitos acertos. Os brasileiros ainda não pressentiam o título.

Há 20 anos começava a copa de 1990. Os campeões argentinos, mantendo boa parte da base de 1986, enfrentavam os camaroneses, que haviam disputado apenas uma copa, em 1982, saindo sem derrota, ainda que eliminados na primeira fase. Naquela tarde, no estádio de San Siro, em Milão, aconteceria uma das maiores zebras da história das copas. Os argentinos não fizeram boa partida, e foram dominados pela seleção africana, que dominava o jogo, para delírio da torcida mundial. Aos 23 do segundo tempo, Oman Byik sobe espetacularmente e cabeceia fraco. Pumpido falha e Camarões vence. Uma zebra histórica que fez a alegria da torcida mundial. E nas proximas semanas Camarões ainda daria muitas alegrias.

4 comentários:

Leonardo Steno disse...

A Argentina tem, provavelmente, o grupo de jogadores mais forte da copa. O problema, como já aconteceu com o Brasil muitas vezes, é que o time não se consolidou na fase de preparação, ou, não há um TIME forte, apenas grandes jogadores reunidos.
Os europeus, que não contam com jogadores tão qualificados, investem na formação de uma equipe e insistem numa formação até que dê liga.
Não vejo os hermanos chegando à final, apesar de não querer enfrentá-los numa copa.

Juliana disse...

Quero enfrentar a França na Copa! Quero Revanche!! Vamos Brasil...

Anônimo disse...

ARGENTINA RUMO AO TRI!!!!!

Patricio Mob Bier - Cerveja Caseira disse...

não se discute o nivel dos jogadores da argentina, no entanto a mudança de esquemas taticos pode resultar mal. vamos ver.

Related Posts with Thumbnails